sexta-feira, setembro 24, 2004

Os dias
jamais serão iguais
aqueles primeiros momentos
em que tudo fazia calor
em que tudo tinha piada

Os dias em que as palavras
eram sempre recentes
e não se repetiam

Ambas sabemos
que a partir daqui
nada será como antes

Nem melhor nem pior
apenas isto.

3 comentários:

AlmaAzul disse...

recordei ao ler-te um verso de E. Andrade :

" ...Nas águas rumorosas da memória
Contigo acabo agora de nascer.(...)"
(Eros de passagem)

Cacau disse...

:) Muito bonito!

Anónimo disse...

Porque os caminhos não são só rectas... são enfeitados por curvas... :)
sotavento