terça-feira, setembro 07, 2004

SEM TI

E de súbito
desaba o silêncio.

É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.

Só nas minhas mãos
oiço a música das tuas.

- Eugénio de Andrade

Espero que gostem, é o poema do dia para mim :)

2 comentários:

Anónimo disse...

Gosto muito de Eugénio e este poema, hoje, bem... nem sei que te diga!... :)
sotavento

Cacau disse...

Fico contente por apreciares...um beijo