sexta-feira, março 09, 2007

Esta noite.

Abro a janela e a porta do quarto. Abro todos os poços que estão dentro de mim. Deito fora, pela quarta vez, as beatas que escurecem o cinzeiro. Bebo água desejando que fosse vinho tinto. Fecho os olhos querendo que já fosse um novo dia. Escrevo e apago palavras. Escrevo-te e não respondes. Tenho a cabeça a andar a uma velocidade assustadora e não prevejo stops ou cedências de passagens, não sei se respeitaria os sinais mesmo que eles existissem. Não sei nada. É um facto. Sinto. Sinto o presente agarrado ao passado e não me consigo libertar de ti. Libertar-me das memórias que ainda me mostram o que é sorrir, que ainda me transmitem sons e sabores da felicidade experimentada por mim. A teu lado, só a conheci a teu lado e foi também a teu lado que tudo terminou. O que sinto neste momento, contudo, não é novidade. Fui talvez a última dos meus amigos a passar por isto. Sei o que se passa, sei de cor estes sinais todos. A todos aqueles que passaram por isto, disse que o tempo acabaria por cessar ou acalmar a dor. É o que me vai acontecer. Daqui a muito tempo, retomarei a minha vida. A minha vida sem ti. Uma vida que será apenas minha. Seremos amigas, não é? Amigas. Seremos o que não fomos na nossa relação e cada vez mais negra é a luz que me diria que ainda é possível o retorno a nós.

Mais um dia. Mais os olhos se afundam. Mais as mãos se arrastam na tentativa de te sentir. Dentro de mim. Não consigo ouvir-te dizer que me Amas. Já não o consigo ouvir. Desfaço-me de cada vez que tento encontrar um caminho para ti e não consigo. Não consigo. Percebes? NÃO CONSIGO!

Esta cidade está amaldiçoada. Passei a odiar esta cidade. Passei a odiar a minha nova rotina. Passei a odiar as minhas almofadas. Até o meu cabelo ficou sem jeito desde que tudo aconteceu. Nada disto faz sentido, não faz sentido este Amor a pulsar e a crescer aqui dentro e não o poder entregar e juntar ao Amor que também vive dentro de ti. Nada disto faz sentido.

O Amor não vence incompatibilidades, não vence o passado, não ensina, não destrói, não acaba assim.

O Amor não faz sentido se não o poder viver contigo…



Esta noite... não poderia estar sozinha.







3 comentários:

António Almeida disse...

O tempo tudo tira e tudo dá; tudo se transforma, nada se destrói.
(Giordano Bruno)

dá um tempo...
bom domingo

chavela disse...

Muita força, muita calma. Beijo, chavela.

Anónimo disse...

Infelizmente sei o que estás a passar. Mas tu tanto quanto eu sabes que tudo passa na vida...é uma questão de tempo, nestas alturas é o nosso melhor amigo. Muita Força maninha, Adoro-te muito, sei que és forte e vais conseguir ultrapassar mais esta etapa da tua vida.
Beijinho Grande Adoro-te muito maninha :)