quinta-feira, abril 23, 2009

Não me recordo de tudo. Ontem tentei recordar-me de como tudo começou. Não me lembrei. Foi o que te disse? Foi a forma como olhei para ti? O momento em que mordi os meus lábios e te provoquei? Deve ter sido nesse momento. A minha boca sempre foi uma arma quase quase que infalível. E os dentes a cravarem os lábios com força mas ao mesmo tempo suavidade. É sensual. É das coisas que carrega em si mais sensualidade. Mas pode não ter sido isso. Talvez o momento em que do nada coloquei a minha mão esquerda na tua perna direita? O toque preciso. É capaz de ter sido isso. É engraçada a forma como demonstro certezas mesmo quando não as possuo. É algo que admiro em mim. Talvez por isso tenha ido para advocacia. Estar perante um juíz e dizer as alegações que estrategicamente escrevi horas antes. Sobre um crime qualquer que eu não faço a minima ideia se foi ou não cometido. Mas eu só posso defender que não foi. o crime não foi cometido. A manipulação das palavras. E ser paga por isso. Fantástico.
Mas estava a pensar como tudo começou. Se calhar não foi por mim que começou. Talvez tenhas sido tu. A forma como os teus olhos se colaram à minha boca, naquele instante em que mordi os lábios. Ou a forma, como a tua perna não se moveu um centímetro quando lá coloquei a mão. Ou o que os teus olhos escondiam por detrás dos óculos de sol. O mistério. eu adoro mistérios. Só pode ser sido aí que tudo começou.

Espera. Ou foi quando minutos depois de te ter conhecido olhei-te nos olhos e isto aconteceu:

- A que horas tens de ir embora?
- Ás 22h.
- Então temos de ir.
- Queres ir já embora?
- Sim, quero beijar-te.

Sim. Foi assim que tudo começou.

4 comentários:

ηatalie αfonseca disse...

Digo o mesmo: lindo, lindo! :P

Trio Colher de Pau disse...

É terrível quando nos dá para morder os lábios,também me dá para isso................quando leio contos eróticos...e até mesmo sonhando isso me acontece!

...continua a escrever tudo o que te vai na alma,...gosto de ler-te.


M.L :)

clic disse...

Essa tua imaginação aparentemente crua desenha sempre histórias fast food, tão reais nos dias de hoje!... Fazes-me lembrar Pedro Paixão... De quem eu gosto muito!... :)

Narcisa disse...

Clic,

O PP e o MEC são grandes influências na minha escrita :)

Quanto à imaginação baseia-se na realidade nua dos meus dias.

Beijo