domingo, abril 19, 2009

"Oh god, make me good, but not yeat"

Dormes ao meu lado. Penso que é a terceira vez nesta semana. A primeira aconteceu e nenhuma de nós disse nada. Na segunda vez eu olhei para ti e tu olhaste para mim. E chegamos ao dia de hoje. Acho que também ninguém disse nada. Há coisas sobre as quais não vale a pena falar. Há temas em que as mulheres transbordam dramatismo. Confesso, que acontece em quase todos. E o drama traz sempre consequências. No nosso caso. Ou melhor, no meu caso, podia não ter tido a fabulosa foda de hoje. E sim, seria uma grande perda. Hoje é cada vez mais raro sexo com qualidade e quantidade. Gosto desta conjugação. Qualidade + quantidade = satisfação razoável. Sempre é melhor que nada. Não nos enganemos a plena satisfação é inalcançável.

Dormes ao meu lado. Confesso que já me cheguei a esquecer do teu nome. Mas tu nunca reparaste. Ou fingiste que não reparaste. Tudo bem. Não há problema. Evitou-se uma situação embaraçosa. Não penso muito em ti. Gosto da tua companhia. Aprecio-te. Sim, é isso apreciar alguém. És bonita. Gosto dos traços do teu rosto. Da tua idade. Do teu rabo. Meu deus… o teu rabo. Gosto que tenhas uma postura arrogante. Sinto-me protegida. Mesmo que depois sejas tu que procures os meus abraços. Gosto da tua lingerie. Principalmente daquele conjunto vermelho. Que usas juntamente com os sapatos de salto alto. Sim, de facto, gosto de muita coisa em ti. Já desgosto um pouco de quando começas a falar de coisas que não me interessam. Ou de quando perguntas se gosto de ti. Se namoramos. E se isto é a sério. E se podemos tomar banho juntas todos os dias. E se isto. E se aquilo. Também existem algumas coisas que não gosto.

Dormes ao meu lado. É a terceira noite seguida. Mas acho que devemos estar perto da última. Eu sou uma menina-mulher com o coração fodido. Voltei aos tempos de antes. Estou contigo porque não encontrei melhor. Basicamente é isso. Sofri uma desilusão. Não me enfrasco em álcool. Drogas. Comida. Prefiro o sexo e a companhia. Antes era apenas sexo. Agora já não basta. Também preciso da companhia. E de vez em quando de mimo. E de festas nos meus caracóis. E preciso de não dormir sozinha. Mas três noites de seguida, é demais. É overdose. Terás que entender. Eu sou sensível. É demais para mim.

- Gosto de dormir contigo.
- Eu gosto de foder. Contigo.
- E de dormir?
- Espaçadamente.
- Achas que estamos a ir muito depressa?
- Talvez um pouco, sabes que saí agora de uma cena…
- Tens toda a razão… Fui egoísta.
- Não há problema… só temos de abrandar um pouco com estas dormidas.
- E abrandar no sexo?
- Não, não podemos abrandar aí. O sexo é algo natural. Ajuda a fortificar a nossa ligação.
- Concordo contigo, Eu sinto de cada vez que fazemos am…
- Querida, não uses essa expressão. Sexo. Fodilhanço. Quecas. O que quiseres. Fazer amor é que está out out.
- Já me tinha esquecido que não usas essa expressão.
- Sim, não usei nem nunca vou usar. Não há qualquer sentido nela.
- Ok. Quando fodemos sinto-me cada vez mais ligada a ti. Próxima.
- Que engraçado. Agora que disseste isso acho que nos devíamos ligar ainda mais..
- Essa tua mente…
- Eu sei. É terrível. Já fiz vários exames e não há cura. Mas vamos ao que interessa.


Dormes ao meu lado e amanhã eu vou-me embora. O coração deixou de estar fodido.
Obrigada pela ajuda.




6 comentários:

Anonyma disse...

Num ponto dou-te toda a razão...
"Fazer amor"...uma expressão a usar com todo o cuidado.

Narcisa disse...

ok. Um ponto já é alguma coisa.

:)

clic disse...

Hoje gosto do cinismo!... :)

Narcisa disse...

Clic,

hoje também gosto :)

ninguém disse...

http://www.youtube.com/watch?v=KYDOWGlPDTU



aqui e ali identifico-me com as coisas que dizes. Eu sou mais do género de fumar, comer e beber, foder nem por isso. mas o sentimento é o mesmo *
quanto à música que tinha no meu blog, sim, cada vez mais me cansa a ideia de que se esperar até me cairem as pestanas, que vou conseguir o que quero. Mas nah, fica-me só o cansaço, os dias perdidos e a neura.
*

asmodeux disse...

nada de relevante a ser dito até há escreves de uma forma apelativa os temas em causa são discutíveis mas o texto flui mui bien é só dentre os 135 blogs que li em cerca de 500 vistos não é de todo espaço perdido infim