terça-feira, maio 26, 2009

Hoje não me importava que viesses. Que me tomasses de assalto com um beijo e num acto curto e incisivo me rasgasses a roupa.

Hoje não me importava que fosse no chão, encostada à parede, sentada no balcão da cozinha, no frio da banheira, na cama, na cadeira, à janela. Não. Hoje não me importava que fosses tu a tomar as rédeas e me fizesses serva do teu desejo.

Hoje é um daqueles dias. Em que me sinto sem forças para te dizer o que quero. Sem forças para te encadear de tesão e alimentar-te a fome crua de mim. Um dia em que não me importa se vens nua ou vestida. Se queres lento ou rápido. Não importa o caminho a seguir, importa apenas estar nesse caminho e deixar-me ser seguida.

Sim, hoje é um daqueles dias em que o meu sorriso incorpora a poluição desta cidade e os meus gestos dançam à medida da velocidade do vento. Sinto-me nua sem o estar. Sinto-me despida por umas mãos alheias embora esteja sozinha.

Não haveria forma de te dizer não. Se me aparecesses à porta.

Sim, hoje é um daqueles dias em que ao me possuires não me sentirias tua.

Alimento pronto a ser consumido, é o que sou hoje.

4 comentários:

Marisa disse...

Também gosto do teu blog. Sente-se. :)

ninguém disse...

não vou comentar este texto, mas o anterior. quis fazer copy paste de uma frase que me bateu especialmente, porque foi ver em texto uma coisa que vejo em mim, de quando a quando, e me assusta. essa coisa de ficar insensivel e fechada numa concha.
devo dizer que gosto bastante de vir espreitar o teu blog quando venho à net. deixa-me sempre um miminho por dentro *

Trio Colher de Pau disse...

"Hoje é daqueles dias"

Fiquei presa a esta frase!
Já tens uma Fã dos teus escritos,.....
encantada!
*M.L

Joana disse...

Fiquei fã com este $