terça-feira, junho 02, 2009


Havia um compromisso: diríamos sempre a verdade.
A verdade que rasga. atropela. incendeia. Não fazia mal. Era um compromisso.


Depois de tudo, ficam as mentiras. as mentiras que foram/são arte cuspida da tua boca, dos teus gestos.


Não há nada de bom a ser recordado. Conseguiste manchar tudo.

E faz-me um favor, não voltes a falar comigo com aquele discurso politicamente correcto de gaja que acha que tem toda a razão e que o caminho que está a seguir é o acertado.

Ah espera, não voltarás a falar comigo. Estás bloqueada.

E seria preciso muita coragem para pegares no telemóvel e dares uma ligadinha com a velha conversa do "sabes que não gosto de ficar chateada contigo".

Shame on you.


4 comentários:

the.star.of.my.heart disse...

Demorou a chegares lá e a ver quem realmente existia.
Que as mentiras existiam.As diferentes personagens também.
Foste vítima como eu.
A grande diferença é que também ajudaste a matar-me a alma e agora a tua também está contaminada.
O Veneno entrou.
Mas ainda vais a tempo de te curares.
Lamento não ter pena, acredita que sim.Mas pena também nada tem de nobre.
Espero que dos passos mal dados aprendas algo.
Até um dia.

Narcisa disse...

Sê bem-vinda.

Sabia que um dia darias sinal de ti.

Tens razão em tudo o que disseste mas isso já tu sabes.

Lamento eu o caminho que tomei e a forma como ajudei a aniquiliar-te a alma. Lamento. Acreditas se assim o entenderes.

Até um dia.

João disse...

Eu bem digo que as mulheres são o que os homens não são...

Narcisa disse...

Ai querido J.,

que teimoso me saíste..

Continuo a não concordar, mas esta discussão terá lugar em sede própria que não esta.

:)