quarta-feira, janeiro 12, 2005

Dá-me a mão da vida
Para não sair do caminho certo
Prende-me os olhos ao mar
Para nunca esquecer a tua imagem

A vida estendeu-se
À minha volta
E tenho medo saltar

Medo do que não espero,
Do que faz o meu corpo responder
Quando ainda de longe
Sinto o teu cheiro.

1 comentário:

Tiago disse...

Sublime, Madrinha! Adorei!
Um beijo*