quarta-feira, fevereiro 09, 2005

Quando chegas perto de mim
esqueço-me do tempo distante
das páginas de lágrimas
dos desamores
que me ofereci

Quando me beijas inesperadamente
quero prender-te em meus braços
e dar-me em flores a ti
porque já não sei
o que são os dias sem ti

6 comentários:

soldeinverno disse...

lindo, muito lindo... volto sempre...

Anónimo disse...

Deixo-te um sorriso, desta vez do tamanho do mundo, que significa, tão só, o reflexo do sentimento provocado por este teu poema. Pois é, o ideal. O desejo, o que se quer, o que eventualmente já foi... ou foi em determinado momento... mesmo que dentro do mais fugaz possível. Como canta a Mafalda Veiga: ... uma gota só..."

Gostei muito.

Sandra
(http://www.void.weblog.com.pt)

JusT_a_GirL disse...

Tá lindo o poema, assim como o anterior =P *

Litostive disse...

"e dar-me em flores a ti"
Ai que doce cacau... =)

Um beijo...
Litostive
http://litostive.blogspot.com

Natasha Semmynova disse...

what a lovely and cute portuguese poem :)
beijinhos doces*

Vanessa Sousa Dias disse...

mi piace... molto bello...
Baci