sexta-feira, maio 12, 2006

Inconsciências I

Mais do que querer ser eu a te salvar,
desejei que fosses tu a que pudesse marcar a diferença
(pensando ser isso possível).

Mantêm-se as incertezas,
as dúvidas das certezas
Mantêm-se o teu sorriso
As tuas mãos
Os teus defeitos nos meus.

Tudo se mantém igual
Mas as noites soam menos minhas

Soam lentas
Soam de sorriso fechado

Soam-te a ti longe.


(No fim tudo o que tinha para se dar, não se deu)

2 comentários:

Alexandra Alpha disse...

Filhota mai linda! *

Morpheu disse...

Mantêm-se as palavras e algumas palavras talvez, o resto perde-se nos sorrisos fechados; sabes, querida amiga, os sorrisos foram feitos para ser abertos, rasgados: só num sorriso pode haver salvação. Tudo o resto se perde volátil como as luzes que viajam na noite e as almas sem o calor do coração.

beijo