terça-feira, janeiro 23, 2007

Até já

Há quem pense que gosto de me repetir. A minha massagista particular ainda ontem me disse, sem grande novidade para mim, que sou obcecada. Que era uma das minhas características. Característica defeituosa, repondo-lhe. Pois bem, é verdade. Mas o direito à defesa é um direito consagrado à luz da nossa Constituição, e eu sou uma cidadã. Aqui não interessa se eu sou uma psicopata ou se sou uma católica fervorosa, que não passa sem idas diárias ao confessionário. O facto relevante é que sou cidadã. E vou defender-me. Não sou eu que sou obcecada, as coisas é que vêm até mim e não me largam até eu ficar assumida e escandalosamente obcecada por elas. Esta é a verdade. Mas como já me disseram, um dia, a verdade serve para alimentar apenas a alma e não é alma que te vai impedir de seres crucificado. Pronto, confesso, ninguém me disse isto, inventei agora.

Repeti tanto que me cansei. E o blog foi-se saturando cada vez mais. A escrita, a meu ver, passou a ser um terror. Passou da busca pela satisfação das palavras, à insatisfação de não saber o que dizer. É triste. Deprime-me ter de assumir que, afinal, e de forma irremediável, tudo tem um prazo. Escrever já não é a segunda melhor coisa que sei fazer. Nem a primeira. Deixou de ter lugar no pódio, nem a bronze se safa. Parece-me que o que ocupa agora a primeira posição é mesmo saber Amar. Não fui eu que o disse. Não me critiquem. Mesmo nisso não sou perfeita. Se alguém me disser que o é no que respeita a Amar, fuja. Não tenho paciência para a perfeição. Incomoda-me e aborrece-me.

Existem fases maravilhosas na nossa vida, mas mais importante ainda são as coisas que têm a capacidade de nos acompanhar nessas mesmas fases. Este blog é um dos melhores exemplos disso. São dois anos e pouco de testemunhos, de devaneios, de desabafos, de muito boas partilhas que extravasaram a virtualidade. O “Sem título”, não sendo excepção, chegou ao fim, da melhor maneira, de braços dados com o Amor. Não poderia desejar melhor destino que este. No entanto, não o vou retirar deste espaço e o mais provável é que o continue a usar sempre que as palavras me permitirem dar asas a esse sentimento. Já não será um blog em crescimento, será um palco de recordações, ao qual recorrerei muitas vezes, na esperança de poder reviver tempos idos que me são queridos (Bendita obsessão).

Queria agradecer a todos aqueles que me acompanham desde o primeiro dia, aqueles que por aqui passaram ao acaso, aqueles que partiram sem deixar rasto, a todos os anónimos, aqueles que no silêncio sempre por cá permaneceram, e por último, não posso deixar de agradecer a todas as pessoas que me inspiraram e me impeliram a escrever. Esta foi uma viagem que não esquecerei.

Deixo-vos no final o endereço do meu novo espaço, espero não vos decepcionar com a mudança mas, na verdade, como sou eu que tenho de me aturar, não posso é decepcionar-me a mim mesma.

Um bem-haja e um até já a todos.



Extravios, Lda
http://extravioslda.blogspot.com
P.s. Um especial agradecimento à M. (http://myprecious-thing.blogspot.com) pela paciência e ajuda prestada na personalização do Extravios, Lda.

5 comentários:

Anónimo disse...

Foi com alguma tristeza que li o teu texto de despedida... gosto da tua forma de escrever, gosto de te ler. Mas desejo-te boa sorte
Beijo

musalia disse...

tudo é finito. mas há o renascimento. de outra forma, com outro aroma. sempre diferente.

as prioridades, é preciso não as perder de vista.
tudo é sempre tão relativo.

ama o mais que puderes:)

um abraço amigo.

last_prophet disse...

não me digas que agora que eu descobri este espaço tão fabuloso ja nao vais escrever mais???

visite também o meu cantinho de poemas :
www.oparaisonaoeaqui.blogspot.com
e o meu cantinho de textos :
www.deixameveraminhaagenda.blogspot.com

Joana_Lima disse...

Escrever é das coisas mais angustiantes que existe à face da terra. Por vezes tentamos pegar num papel e lançar para fora tudo o q temos caprichosamente a matar a nossa alma mas não conseguimos. No entanto...continua a tentar. Tudo vale a pena se a alma não é pequena (é uma frase feita mas foi o melhor que pude arranjar).

MalucaResponsavel disse...

Que bom... este FIM foi o inicio de qualquer coisa. bj