quinta-feira, março 15, 2007

Não sei como dizê-lo, a ti, que encontraste do lado esquerdo da minha cama o teu poiso. São tantas as histórias que te podia narrar, sei que perceberias o que te queria dizer mesmo que não fossemos as protagonistas. Mesmo assim sei que não partirias. Que embeberias o prazer contínuo das minhas mãos e continuarias a cultivar na terra molhada do meu corpo o teu espaço.



Outro dia. Que não próximo da amargura que me palpita os olhos. Gostava que dos nossos corpos nascesse algo interminável, que todo o espaço existente entre nós se rendesse ao quente que me embala o coração.


Noutro dia que não este tudo seria possível mesmo que apenas por palavras escritas.

3 comentários:

lunar disse...

Também gosto muito da Anais Nin...

Bubbles disse...

Gosto do novo visual :) *

Natalie Afonseca disse...

HUm...pelo que tenho lido por aqui as coisas andam um pouco trsitezinhas!! :S
A ti só te desejo o melhor!!
Tudo vai correr bem!

Um abraço
:)))))