quarta-feira, novembro 08, 2006

"Capricho"

O texto que vou publicar em seguida foi-me escrito por alguém com uma importância inquestionável na minha vida. É um texto que adoro mesmo que tenha partes não tão agradáveis. A sua veracidade é incontestável talvez por isso me diga tanto como diz.

“E nunca mais te atreveste a escrever-me.
Sim, porque os teus escritos não passavam de grandes atrevimentos com um destinatário.
Não sabias nunca ao certo por que escrevias.
Mas também não questionavas demasiado. Acomodavas-te ao teu capricho de tenra idade e eras feliz. Por momentos.
E por momentos acreditavas existir no espaço do teu destinatário.
Ouve, já pensaste em rasgar todas as cartas e incendiar o sentimento? Duvido, pois trata-se do teu capricho e tu és a "autoridade máxima do próprio coração"!
Enfim. . . como se fosse possível ditar regras a esse miserável.
Hoje findaram as lutas, as palavras e as crenças.
Tudo porque decides que já chega. É impressionante como consegues atropelar os sentimentos tão facilmente.
Chego à conclusão de que nunca sentiste foi nada. Ansiavas tanto por sentir que inventaste um nome para tudo, à tua maneira.
Sim, porque se não for à tua maneira, "não presta".
Que coração tão idiota, esse.”
Data de Agosto de 2006

5 comentários:

nameless as a desire disse...

Esse alguém, no qual a loucura da tenra idade também floresce a jorros, é de facto uma pessoa especial. Que os vossos caminhos se cruzem e tropecem sempre um no outro, e que o que um dia germinou da semente que plantaram se torne uma magnífica e imponente sequóia.

sotavento disse...

Andas aí a partir corações"... ;)

Natalie Afonseca disse...

Adorei esses texto!!
Muito bom mesmo!!
Não sei porque, lol, mas escreveram-me um parecido em tempos!! :|
:))))

Como nós mudamos em certas coisas:P
Beijinhos

Frambú. disse...

Adoro-te.

Cris disse...

Só tu sabes a verdadeira importância destas palavras... mas parecem fortes e sentidas. E só por isso valeram já a pena.
Deixo-te um beijo e votos de um óptimo fds.